Buscar
  • Dr. Diogo Pazello

Quando operar varizes?

Essa é uma pergunta que pode ser respondida baseada nos 3 principais motivos que os pacientes procuram o consultório vascular.




1- Estética e/ou Prevenção:


A grande maioria dos pacientes nos procuram devido ao incomodo estético. Nestes casos, as varizes ainda não estão em estágios avançados, e na maioria das vezes são assintomáticas ou causam pequenos desconfortos (muitas vezes o paciente não relaciona esses incômodos às varizes). Uma parcela menor de pacientes vão o consultório preocupados com a evolução das varizes, procurando tratamento devido o receio de complicações. Muitos deles tem alguma experiência ruim com familiares ou conhecidos que passaram por situações complicadas pelas varizes (flebite, trombose ou úlceras).



A indicação de tratamento está correta nas 2 situações, quanto mais cedo começar o tratamento melhor, pois evita a evolução (crescimento) das varizes. Tratar varizes menores é muito mais simples, menos agressivo e com um resultado estético muito melhor.


2 - Quando o paciente apresenta sintomas desconfortáveis:


Dores e inchaço nas pernas são os principais sintomas relatados pelos pacientes que tem varizes. O sintomas podem aparecer mesmo em pacientes com varizes pouco calibrosas, mas é mais comum em varizes mais desenvolvidas. Nesta situação, existe a possibilidade de tratamento clinico (uso de meia elástica e medicamentos), mas o tratamento cirúrgico definitivo é a melhor opção se não houver nenhum impedimento (contra-indicaçao) .



O objetivo do tratamento é a melhoria da qualidade de vida e a prevenção de complicações futuras, além de corrigir a estética, melhorando a autoestima.


3 - Casos graves com varizes Complicadas:


As principais complicações das varizes são: trombose, flebite, varicorragia (sangramento) e as úlceras.

O tratamento das varizes quando chegam nesse estágio não é mais uma opção e sim uma necessidade. O tratamento nestes casos é um desafio ao cirurgião vascular e precisa ser bem estudado e individualizado para cada paciente (não existe fórmula mágica). Em algumas situações o tratamento cirúrgico é contraindicado e o tratamento clinico torna-se a única opção. Uma boa avaliação clinica e o auxilio dos exames de imagem é de extrema importância nestes casos.

Com a evolução da medicina e com as novas técnicas utilizadas (espuma de polidocanol, radiofrequência e o laser) praticamente não existe contraindicação absoluta para o tratamento cirúrgico das varizes.



O tratamento cirúrgico das varizes baseia-se em localizar e intervir sobre os pontos de refluxo do sangue nas veias (principalmente as veias safenas e perfurantes) e na retirada daquelas veias que já foram afetadas por este refluxo (as veias dilatadas e tortuosas –as varizes propriamente dita). A grande maioria das cirurgias de varizes são de baixa complexidade e muitos procedimentos podem ser realizados dentro das clínicas de cirurgia vascular devidamente adaptadas para esse fim.



O melhor é sempre prevenir, tratando as varizes o mais cedo possível. A prática de exercícios físicos, com foco nas pernas, pode auxiliar na prevenção e desacelerar o crescimento das varizes já existentes. Meias elásticas de compressão também podem ser indicadas, mas somente por especialistas, pois o uso errado pode piorar o quadro. Qualquer sinal de varizes marque uma consulta com seu médico vascular para uma avaliação.


Dr. Diogo Pazello

Especialista em Cirurgia Vascular e Endovascular pela Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV)

115 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo